quarta-feira, 3 de novembro de 2010

um ode à mediocridade;

Depois de ser bombardeada de notícias e artigos preconceituosos, xenofóbicos e completamente sem pudor e respeito algum, me sinto obrigada a questionar: como o ser humano pode ser tão nojento? Sentada em frente ao computador, encarando o clarão do bloco de notas vazio, continuo a pensar. Será mesmo de tamanha grandiosidade essa opção que temos de sermos seres pensantes? Quantas pessoas, de fato, aproveitam dessa condição?

A retórica que me perdoe, mas sabemos onde esse texto irá acabar.
Só não sei de quem é culpa.

Poderia ser do estado, da política, da religião, do ensino, da família, da vida, do mundo, da cidade, do universo, do sol, da lua, das estrelas, do mar, dos grãos de areia, de Deus, do pai, do filho, do espírito santo.

De todo mundo e de ninguém, ainda assim não faria diferença.

Estará alguém ainda se questionando sobre isso?

É mais fácil ser medíocre.
É mais fácil ser hipócrita, é mais simples.



É mais fácil ir dormir e parar de acreditar que as coisas estão melhorando.
Isso sim.

2 comentários:

Pedro disse...

Fico orgulhoso da sua crítica. E de você como um todo.

Acalme-se, que textos assim são assim; uma breve explosão de fagulhas, mas, quem sabe com o tempo, eles se aperfeiçoam.

<3

Juliana disse...

Uma revolução tambem presente em mim :)