quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

l'attente;

E toda vez que eu tranco a porta, suspiro. Meu mais novo sonho é não precisar trancá-la, acreditando que você só foi até a padaria comprar algo para comer e já vai voltar. Voltará em breve.

Todos os dias em que acontece aquele abraço, aquele esperando o elevador chegar, o coração dispara e é como se partisse em pequenos pedacinhos. Dói. Porque a ideia de sua ausência, mesmo que momentânea, me atormenta.

E o último beijo do dia deixa os lábios com gosto de quero mais. Deixa a presença-ausente de suas mãos segurando meu rosto, minha cintura. Anseio pelo próximo primeiro beijo como se não houvesse amanhã, como se o mundo acabasse no instante em que a porta se fechasse. Te mando beijinhos pela janelinha do elevador, e digo aquele "te amo" abafado, sem saber se, na verdade, você ouve.

Toda vez que fecho a porta imagino como seria se você permanecesse aqui dentro, comigo.

6 comentários:

Paola Del Corso disse...

É como se cada palavra me fizesse sentir uma sensação gostosa que mistura identificação e saudade.
Tá lindo, Gabi!

Pedro disse...

Ahh, em primeiro lugar que saudade dos seus textos!

E aahhh, se você soubesse que eu fico tão ansioso e tão cheio de mimimis nesse mesmo instante... só posso dizer que nosso sonho vai se realizar o mais rápido que for possível.
Te prometo!

WiLD BiLL disse...

Ótimo retorno.
E vocês são fofos! hehe

Beto disse...

Muito bom o teu blog. Tu escreves muito bem. É um deleite ler os seus pensamentos, escritas de uma forma bestial...

Van Der Laan disse...

Gostei muito do seu blog, é principalmente dos post... Aproveite e viside meus Blogs http://mundoloukosa.blogspot.com/ e o http://vanderlaanmusic.blogspot.com/

The Teacher disse...

Nothing but the truth..at least it`s been happening to me...