quarta-feira, 11 de março de 2009

she;

não ha caminho certo, ou modo correto de pensar nas coisas. ela estava lá, sentada naquela calçada imunda, fumando aquele cigarro que parecia não acabar nunca, pensando. não dava para enxergar direito, aquelas gotas de chuva atrapalhavam minha visão, mas sabia que era ela. o jeito de pegar no cigarro, o jeito de observar aquela fumaça toda saindo de sua boca, os cabelos molhados, o casaco listrado de sempre, era ela.

pensei em me aproximar e oferecer carona, mas a conheço tão bem que sei o que teria me respondido, com aquele sorriso sem graça, com uma das mãos no rosto e ficando com as bochechas levemente avermelhadas. nunca gostei de pessoas previsíveis, mas ela me atraia de uma forma diferente. a inocência não-inocente e o jeito com o qual me olhava quando eu passava, um olhar vago, intenso. ela continuava lá, mas agora havia apagado o cigarro.

todas as pessoas que a conhecem dizem que é esperta, que é forte e que sabe lidar com as situações difíceis da vida. mas eu sei, que no fundo, ela só pede para que alguém a levante e a segure firme, para que ela não caia mais. sei que ela não é fraca, mas não é forte também. sei que chora quando ouve músicas, sei que grita quando ouve um trovão, sei que tem medo de se perder e não se achar mais. eu a levaria para passear naquele dia, a levaria para um café e lá iríamos divagar horas sobre assuntos completamente inimagináveis, iríamos rir e fumar muitos cigarros, até a hora em que eu pegasse na mão dela - eu sei, sei exatamente - ela sorriria e diria que ia ao banheiro, onde ficaria se olhando no espelho e se questionando se aquilo era realmente verdade, eu a conheço. e as vezes preferia não conhecer, não saber nada sobre ela, não entender nada do que se passa por dentro daquele coração que teme não se aquecer de novo.


ela e eu, eu e eu mesma. estranho fucking jeito que as coisas são, e como em um certo ponto da vida temos a certeza de que nos conhecemos por completo. e agora?

4 comentários:

Paulinha disse...

e agora o que eu faço com esse texto foda??
=O

Anônimo disse...

Ahn curti. simples maneira de conheçer alguem e que as vezes irrita, e os faz querer conheçer pessoas novas, é quando percebemos o quanto gostamos de conhecer alguem a fundo.

bjo

Anderson

Sonhador por natureza disse...

Há uma linha tênue que separa o eu do eu lírico. Basta se olhar no espelho para ver duas pessoas diferentes, mas tão semelhantes.
Sorte a minha de te conhecer tão bem.
=)

amo você.

gabrielaleite disse...

eu sei também