terça-feira, 4 de agosto de 2009

escondido.


Então se tudo aquilo que eu ouvi você dizendo não era verdade, onde a verdade se escondeu? Sim, me irrito em ouvir você dizendo que não quer se machucar, já que você sabe bem (e eu sei que você se lembrará disso todos os dias) que assim vai doer muito mais.

Se eu não tivesse te pedido para ir embora, você teria ficado? Às vezes eu acho que você não saberia a hora certa de ter dito tchau. Você se estenderia, ficaria pelos cantos até o último minuto. Me olharia com aquele olhar - seu olhar - e esperaria por um de meus sorrisos tímidos, mas eu não sorriria. Talvez eu te abraçasse ou simplesmente deixasse que meu silêncio falasse por mim.

Foi tudo uma brincadeira. O faz de conta teria que chegar ao fim. Cedo ou tarde nós tínhamos que entender que a vida era mais que aquilo. Dia após dia eu acreditei, e sei que você também, em todo aquele amor. Tudo tinha que acabar, só não quero mais acreditar na brincadeira.

Era verdade. E você sabia.
Mas não é mais, agora seria tudo preto e branco. Sem aquelas flores que você deixou em cima da mesa ou até mesmo sem a nossa foto em cima da estante da sala.

É isso, meu querido. Chegou a hora de eu devolver suas chaves.
Vou deixá-las na portaria às 19h.

Seu coração não me pertence mais.
Meu coração não te pertence mais.

Então se tudo acabou assim, onde o amor se escondeu?

Um comentário:

Enzo Sunahara disse...

UAU!

Eu ensaio uma volta, e você volta com tudo.


Está cada vez melhor. =)