quarta-feira, 30 de setembro de 2009

a magia;

As vezes é quase triste, porém inevitável, crescer. Ser criança é ter a eterna inocência e ver a magia nas coisas mais simples da vida. Ser jovem tem sido me adaptar ao turbilhão de informações e obrigações novas que não param de chegar aos montes.

Crescer é perder parte do tempo de ser livre.
É mais obrigação e menos prazer.
E não, isso não é tão legal assim.

Quando observo as crianças ao redor, noto um amadurecimento precoce em seus pequenos olhos. A inocência pula pela janela da alma e vai embora sem nem ao menos dizer adeus. Hoje, muito mais cedo que antes, as crianças desacreditam do mundo, se frustram. O querido Papai Noel tem morrido mais cedo, Fada do Dente e Coelhinho da Páscoa então... Estão caminhando para a extinção.

Admirar coisas simples - apenas por existirem - devia ser um exercício obrigatório para toda humanidade. Não existe nada mais confortante do que sentar ao fim de uma tarde cheia de tarefas e observar o céu, achar desenhos em nuvens.



Sempre encontrarei magia atrás das nuvens.

4 comentários:

Anderson disse...

A muito tempo que não olho para o céu.
Adorava faze-lo quando criança, agora me resta esperar pelo meteoro. O Qual tenho certeza que irá me atingir sem ao menos que tenha o prazer de dizer olá.

Enzo Sunahara disse...

Nada impede que, na maturidade, essas crianças possam sonhar.

Belíssimo texto, principalmente em: "A inocência pula pela janela da alma e vai embora sem nem ao menos dizer adeus."

Esse é dos bons, pega na veia!

bjos, queridona.

gabrielaleite disse...

falando nisso, vi um documentário de publicidade pra criança que me assustou muito. já pensou que pode estar sendo a culpada por diminuir a fase bonicta da infancia? :D depois conversamos

Alexandre Ciszewski disse...

É um melhor que o outro, dona Gabi! hehehe
curto demais!

Beijo, gabi!